Pensamentos...

Videos

Loading...

terça-feira, 21 de maio de 2013

Lucas...

Você é o sonho que se realizou,
É o toque mais perfeito do nosso amor.
É o nosso filho amado,
Que a gente tanto desejou.

Tudo o que aconteceu,
E o modo como lutou...
Desde o dia em que nasceu,
Muita lição nos deixou.

Mais do que podíamos desejar,
Você nos deu...
Em cada sorriso,
Em cada olhar.

Quase sem forças e indefeso,
Em meio a tantas lutas...
Você sorriu!
Nunca desistiu.

E de mãos dadas com o Pai
Brevemente você partiu.
E com Deus sempre estará!

Nunca nos esqueceremos de você, filho!
Para sempre iremos te amar!

Para o nosso filho amado, Lucas.

Papai e mamãe.

Valdécio & Patrícia. 

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Pensamentos...

 “As vezes faço coisas que não gosto para tornar possível o que desejo,contudo,se precisar, desisto de tudo que desejo para proteger o que amo". 
Valdécio Gama.

domingo, 30 de setembro de 2012

Mudança de atitude...



SE A SITUAÇÃO FOR FAVORÁVEL, DESFRUTE-A!
SE NÃO FOR...    TRANSFORME-A!
SE NÃO CONSEGUIR...   TRANSFORME-SE! (VIKTOR FRANKL)





segunda-feira, 30 de julho de 2012

Ilusão

Na multidão das aparências quem se importa?
Diante do espelho desta vida, reflete- se uma geração quase morta.
Copia-se quase tudo, e quem neste mundo parece pode aparecer, onde a própria identidade no esquecimento pode se perder. 

viver de aparências não é  vida, porque  a vida encontramos diate da verdade, diante de  JESUS, porque Ele  É! e somente por Ele, poderemos  viver.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Rumo à verdade


"A ciência pode ser um caminho para a compreensão da verdade que não conseguimos explicar, ou uma tangente de saída para os cegos que não querem enxergar." 

sábado, 16 de abril de 2011

...Enquanto ser pensante: o homem produz o conhecimento; Enquanto ser social: o homem produz o saber.


Mito da caverna

Imaginemos um muro bem alto separando o mundo externo e uma caverna. Na caverna existe uma fresta por onde passa um feixe de luz exterior. No interior da caverna permanecem seres humanos, que nasceram e cresceram ali.
Ficam de costas para a entrada, acorrentados, sem poder locomover-se, forçados a olhar somente a parede do fundo da caverna, onde são projetadas sombras de outros homens que, além do muro, mantêm acesa uma fogueira. Pelas paredes da caverna também ecoam os sons que vem de fora, de modo que os prisioneiros, associando-os, com certa razão, às sombras, pensam ser eles as falas das mesmas. Desse modo, os prisioneiros julgam que essas sombras sejam a realidade.
Imagine que um dos prisioneiros consiga se libertar e, aos poucos, vá se movendo e avance na direção do muro e o escale, enfrentando com dificuldade os obstáculos que encontre e saia da caverna, descobrindo não apenas que as sombras eram feitas por homens como eles, e mais além todo o mundo e a natureza.
Caso ele decida voltar à caverna para revelar aos seus antigos companheiros a situação extremamente enganosa em que se encontram, correrá, segundo Platão, sérios riscos - desde o simples ser ignorado até, caso consigam, ser agarrado e morto por eles, que o tomaram por louco e inventor de mentiras.
Platão não buscava as verdadeiras essências na simplesmente Phýsis, como buscavam Demócrito e seus seguidores. Sob a influência de Sócrates, ele buscava a essência das coisas para além do mundo sensível. E o personagem da caverna, que acaso se liberte, como Sócrates correria o risco de ser morto por expressar seu pensamento e querer mostrar um mundo totalmente diferente. Transpondo para a nossa realidade, é como se você acreditasse, desde que nasceu, que o mundo é de determinado modo, e então vem alguém e diz que quase tudo aquilo é falso, é parcial, e tenta te mostrar novos conceitos, totalmente diferentes. Foi justamente por razões como essa que Sócrates foi morto pelos cidadãos de Atenas, inspirando Platão à escrita da Alegoria da Caverna pela qual Platão nos convida a imaginar que as coisas se passassem, na existência humana, comparavelmente à situação da caverna: ilusoriamente, com os homens acorrentados a falsas crenças, preconceitos, ideias enganosas e, por isso tudo, inertes em suas poucas possibilidades.

sábado, 16 de outubro de 2010

CASA DE DEUS...

CRISTO E O TEMPLO
Cristo mostrou respeito e zelo pelo templo quando expulsou aqueles que faziam daquele lugar um local de comércio. (Mateus 21:12-13; João 2:13-16). Jesus chorou sobre Jerusalém ao se aproximar dela no episódio da entrada triunfal. Do local de onde ele montou no jumentinho, o Monte das Oliveiras até à porta hoje conhecida como "Portão Dourado"que fica no lado oriental da cidade, Jesus foi aclamado como Rei. Ele foi até o templo onde pregou à multidão como relatam os evangelhos. A visão profética de Ezequiel no capítulo 43, nos revela o quão significativa a Entrada Triunfal foi e o quão importante o templo era para Jesus, a própria Glória de Deus manifesta naquele local. Ele ensinava lá frequentemente, mas ele se descrevia como sendo "maior que o templo" (Mateus 12:6). Quando ele foi rejeitado como Messias, apesar de seus milagres, ele previu a destruição inevitável do templo (Mt21:9-15; 24:1-2) como de fato foi destruído pelos romanos em 78 D.C. Cumpriu-se a profecia de Daniel 9:25-26.
Em Apocalipse, não há um templo físico, apesar de ele continuar usando a imagem de Jerusalém e do Monte Sião (Apocalipse 3:12; 14:1; 21:2; 10, 22). Ele oferece três ideias relacionadas. Primeiro o conceito da igreja feita de mártires, o qual os seus membros fiéis são templos de Deus (3:12, 14:1). Esse templo aumenta gradativamente conforme cresce o número de mártires (6:11). Outro aspecto é o templo como o lugar de julgamento (11:19; 14:15; 15:5-16:1). O estado final será Deus morando com o seu povo - o templo eterno e espiritual.